O Ashtanga Yoga é um sistema dinâmico de prática de yoga, caracterizado pelo sistema de vinyasas. Vinyasa é o nome dado a combinação da respiração com o movimento. Assim, no ashtanga vinyasa yoga todo o movimento deve ser antecipado pela respiração, para cada movimento há uma respiração. A respiração é a música da prática e é quem tida o ritmo do movimento. Quanto mais a respiração vai afinando, mais a prática se torna suave e tranquila. A respiração todavia é o que conecta o corpo e a mente. Assim, uma respiração suave relaxa os pensamentos, diminuindo os vrittis (ondas de pensamentos). 
Guruji costumava dizer que o objetivo dos vinyasas é a limpeza interna. Respiração e movimento juntos na realização de asanas ferve o sangue. Sangue grosso é sujo e impuro e causa doenças. O calor gerado pelos vinyasas torna o sangue fino, fazendo com que circule livremente. Quando há pouca circulação a dor surge. A combinação de asanas com movimento e respiração faz com que o sangue circule livremente pelas articulações, evitando dores. O sangue aquecido também move por todos órgãos internos removendo as impurezas e afastando as doenças (pag. 25, Ashtanga Yoga Anusthana). 
O suor também faz parte da prática, como um resultados dos vinyasas, pois é através do suor que as doenças deixam o corpo e a purificação acontece. Quando o corpo purifica, o sistema nervoso também é purificado, bem como os órgãos dos sentidos. 
O calor gerado pelos vinyasas também influenciam na digestão, pois ativam o agni, o fogo interno ou fogo digestivo. O principal benefício de desenvolver um bom agni é demorar mais para acumular toxinas e digerir os alimentos e informações. Digo demorar mais, pois é natural acumular toxinas, mesmo tendo uma alimentação e rotina saudáveis. 
Outra das características do ashtanga yoga também é o estado meditativo, adquirido após alguns anos de prática. Chamamos esse estado de dhyana. Um dos elementos que auxilia a entrar nesse estado meditativo é o foco do olhar, que em sânscrito chamamos de drishti. Fisicamente o drishti nos ajuda a manter o equilíbrio, mentalmente nos ajuda a observar o nosso funcionamento mental, auxiliando na concentração e no foco. Em camadas mais sutis traz paz, liberdade e leveza. Cada postura tem o seu próprio drishti, o que veremos mais adiante quando falarmos das posturas individualmente.  
Advindos do hatha yoga (o sistema mais antigo de prática de asanas), as posturas no ashtanga vinyasa yoga são divididos em série. Há seis séries nessa prática. A primeira série chamamos de yoga chiktsa, traduzido como yoga terapia. Nessa série se trabalha mais resistência, através da sequência de “jumps” para frente e para traz, alongamento, principalmente de posterior da coxa, algumas torções, como até algumas posturas de rotação do quadril bem complexas como supta kurmasana. Assim, o corpo fortalece e flexibiliza, a mente foca e amplia e aos poucos o aluno vai avançando na sequência. Não há comparação, cada um tem um corpo, uma mente, um passado, uma história. Yoga é um caminho para a busca do conhecimento pessoal individual, não é exibicionismo ou competição. O bonito está no caminho em busca da auto realização.